.bookmark{ padding:0px; margin-top:15px; background:#ddd; } .bookmark a:hover { position: relative; top: 1px; left: 1px; } .bookmark img { border: 0; padding:0px; margin-top:15px; } -->

Tamanho da Letra

-A - +A

A Igreja católica nos séculos XIII e XIV (parte II)

Twit This! |

Os Valdensens

Eram aqueles que aderiram a uma seita cristã que apareceu no final do século XII e que existe até hoje. Essa seita se inscrevia no movimento que dava importância ao Evangelho e era contra os padres. Possuía também tendências maniqueístas (confronto entre o bem e o mal).

O fundador do movimento foi um homem muito rico de Lyon, chamado Pedro Valdo ( daí o nome da seita), que nasceu no final do século XII e morreu em 1217. A partir de suas interpretações da Bíblia, distribuiu todos os seus bens aos pobres e fez renascer a vida apostólica, fundada sobre a pobreza absoluta e a pregação errante.

Juntou em torno de si alguns seguidores, chamados "homens pobres de Lyon", que enviava em missão, dois a dois, com o Novo Testamento, que fizera traduzir do latim para o provençal, idioma bastante utilizado no sul da França. O papa da época, Alexandre III (1159-1181), inicialmente aprovou esta iniciativa de leigos piedosos. Entretanto, inquietou-se quando viu os valdenses negarem-se a se submeter a qualquer controle por parte dos padres da Igreja. Proibiu-os então de pregar sem a autorização dos bispos (1179). Como Pedro Valdo recusou-se a obedecer ao Papa, o movimento foi condenado no Concílio de Verona (1184).

Os valdenses, como represália, passaram a atacar as instituições estabelecidas. Proclamavam que os juramentos eram proibidos pelo Evangelho, que as autoridades civis não tinham o direito de aplicar a pena de morte, que o único mérito era guiar as almas  e dar sacramentos e que, portanto, os padres, os bispos e o papa eram usurpadores.

Essa heresia se estendeu rapidamente pelo sul da França, passou para o Norte da Itália, atingiu a Espanha e a Alemanha. Seu centro era Piemonte, no norte da Itália.

Desde 1209, o papa Inocêncio III lançou uma Cruzada contra os valdenses, e oitenta deles foram queimados em praça pública na cidade de Estrasburgo (1211). Entretanto, tais mortes só fizeram ampliar e consolidar o movimento. No século XV foi feita outra Cruzada contra eles por iniciativa do papa Inocêncio VII (1487), sem que extinguisse a heresia.

Desde 1530, os valdenses entraram em contato com os protestantes suíços e alemães e, em 1531, numa reunião, romperam definitivamente com a Igreja Católica e alinharam-se a estes, fundando a Igreja Evangélica Valdense, que existe até hoje.

fonte: apostilas ETAPA

Assine nosso feed. Obrigado pela visita e volte sempre!

Leia também: A Igreja católica nos séculos XIII e XIV (parte I)

1 Comentário:

Breno Lucano disse...

Nesse contexto valdense surge a enigmática figura de são Francisco de Assis. O historiador Raoul Manselli ressalta sua defesa da fé proposta pela Igreja em vários momentos, inclusive em seu poema Cantigo do Irmão Sol.

Aproveito a oportunidade para sugerir um artigo sobre uma revolta pouco conhecida e documentada no Brasil: a Revolta dos Mucker. Há um filme sobre esse evento, intitulado A PAIXÃO DE JACOBINA.

E, finalmente, considerando a qualidade do material apresentado, o banner de vocês foi adicionado no Portal Veritas no menu Parcerias. Nosso trabalho primordial é filosofia antiga, embora haja alguns toques de história, principalmente a antiga.

No mais, esperamos que possamos trabalhar juntos.


Breno Bastos
Gerente do Portal Veritas

 

©2009 HISTOBLOG - História Geral | Template Blue by TNB